COMO PROLONGAR O BRONZEADO APÓS O VERÃO

adaptógenos adaptógeno
ADAPTÓGENO
25 de agosto de 2017
perder peso
PERDER PESO. ACREDITE: MILAGRE NÃO EXISTE!
23 de novembro de 2017
prolongar o bronzeado

prolongar o bronzeado

Cenoura, melancia, pimentão vermelho e amarelo, tomate, mamão, manga, acerola, beterraba, couve, espinafre e agrião são exemplos de alimentos ricos em carotenoides, substancia que dá cor aos alimentos que vão dos amarelos aos vermelhos e também os verdes escuros E QUE PODEM AJUDAR A PROLONGAR O BRONZEADO APÓS O VERÃO!

Existem mais de 700 tipos de carotenoides diferentes. Apenas 50 deles fazem parte da dieta humana e 6 deles respondem por 95% do que ingerimos ( b-caroteno; a-caroteno; Licopeno; Luteína; β-Criptoxantina e  Zeaxantina).

O carotenoide é uma substância LIPOSSOLÚVEL. Isso quer dizer que, na presença de um óleo (por exemplo azeite de oliva, coco ou castanhas) o carotenoide é mais facilmente transportado e absorvido pelo organismo.

Os carotenoides estão relacionados à síntese de vitamina A, vitamina que nosso organismo não produz e só pode ser obtida através da alimentação e que está diretamente relacionada à saúde da pele além de ser um potente antioxidante.

A manutenção do bronzeado está diretamente relacionada à qualidade dos melanócitos da pele. Uma pele com melanócitos saudáveis é uniforme e sem manchas escurecidas.

Vale ressaltar que a quantidade de melanócitos também determina o quanto a pele ficará bronzeada. Pessoas com menos melanócitos não conseguem atingir naturalmente um tom muito escuro.

Quanto à ingestão diária, cada pessoa deve procurar introduzir os alimentos fontes de carotenoides seguindo a sua dieta habitual e fazendo as substituições dentro das recomendações do nutricionista. Mas eu arisco dizer que vale a pena ter pelo menos uma fonte de carotenoide em todas as refeições do dia, pelo menos na primavera e no verão. Como a lista de fontes é razoavelmente extensa, não é algo muito complicado.

Principais Representantes/Fontes

α-caroteno: cenoura

β-caroteno: na manga, abóbora, cenoura;

luteína: batata, cenoura, milho e gema de ovos;

criptoxantina: milho, páprica e mamão;

zeaxantina: gema de ovos, milho, espinafre e páprica ;

crocina: açafrão;

bixina: urucum;

capsantina: na pimenta vermelha;

capsorrubina: páprica;

violaxantina: amor perfeito

licopeno: tomate, beringela, cenoura, pimentas verdes, ameixa, mamão, pêssego e melancia.

Sabina Donadelli
Sabina Donadelli
Nutricionista com formação em Dietoterapia da Medicina Tradicional Chinesa, especializada em pacientes oncológicos e coordenadora de grupos de saúde e qualidade de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *